Alcóolicos Anônimos - Bahia - Área 26

Reflexão Diária

rendição e autocrítica

Minha estabilidade proveio de tentar dar, não de exigir que me dessem.

É assim que eu penso que pode funcionar com a sobriedade emocional. Se olharmos cada distúrbio que temos, grande ou pequeno, encontraremos em sua raiz um dependência doentia, e, em consequência, exigências doentias. Que possamos , com a ajuda de Deus, entregar continuamente essas exigências aleijantes. Então nos poderá se dada a liberdade para viver e amar; poderemos então fazer um Décimo Segundo Passo para nós mesmos e para os outros, em direção à sobriedade emocional.

* A LINGUAGEM DO CORAÇÃO PG. 238

Anos de dependência do álcool, como um alterador químico de meu humor, tiraram-me a capacidade de interagir emocionalmente com meus companheiros. Pensava que tinha de ser auto-suficiente, auto-confiante e auto-motivado num mundo de pessoas não confiáveis, No final perdi minha dignidade e fiquei dependente, sem qualquer capacidade para confiar em mim mesmo ou acreditar em qualquer outra coisa. Rendição e auto-exame, enquanto compartilho com os que chegam, ajudam-me a pedir humildemente por socorro.

N.T.: ainda não traduzido